Imagens de cabeçalho aleatórias... Recarregue a sua página para ver mais!

Trilogi – Tutorial: parte 3, Timers (c/screencast)

Timers / Temporizadores
Vamos primeiro ver o screencast que demonstra como se trabalha com os Temporizadores (Timers) neste software (Trilogi):
O vídeo apresentado diz respeito ao exemplo de aplicação que discutiremos mais adiante neste post, bem assim como mais outros dois exemplos de aplicação dos Temporizadores.

Vamos agora apresentar e discutir 3 exemplos e aplicação de Temporizadores em outros tantos programas:
“Faça o seu LOGIN para ver o resto deste post”
[hide for=”!logged”]
TIMER (TEMPORIZADOR)
Este exemplo de utilização de um temporizador mostra uma aplicação que funciona do seguinte modo:
. Quando activo o interruptor Iniciar (entrada) coloco a ON um relé interno (bi_est_inic) que, uma vez activo, vai activar a saída Y1 (trata-se de uma bobina de uma electroválvula que faz expandir a haste de um cilindro).
. Quando a haste chega ao seu final faz activar um sensor fim-de-curso (a) que por sua vez faz iniciar um Temporizador (Timer_1) configurado para contar 10 segundos (o valor a carregar tem de ser 100 uma vez que os temporizadores dos autómatos trabalham, normalmente, em décimas de segundo.
. Quando o Temporizador chega ao fina da contagem desse tempo fica a ON (“1” lógico) o que faz com que (linha 1 do programa) a sua negação fique a zero e desactivando o relé, desactiva também a saída Y1 (electroválvula) permitindo assim que a haste do cilindro volte à posição inicial (se contraia), uma vez quue se trata de um cilindro de acção simples, com mola de retorno.

Na figura abaixo vemos que o temporizador já chegou ao fim (o seu valor está a 0) pelo que a saída já está desactivada.

Nesta figura vemos a configuração do valor de um Temporizador, 100 equivale a 10 segundos pois a unidade dos temporizadores dos autómatos é o décimo de segundo.

Neste segundo exemplo de utilização de temporizadores:
. Quando pressiono momentaneamente o botão de pressão Iniciar, activo o relé interno (bi_est_Inic). Mesmo que depois liberte o botão, a realimentação do relé (o paralelo com o botão) segura-o no estado activo.
De notar que a entrada a é um fim-de-curso que está colocado no final do campo de expansão da haste do cilindro que é comandada pela electroválvula Y1 que corresponde à saída deste nosso circuito.
. A activação do relé faz com que:
O temporizador inicie a contagem do tempo para o qual foi configurado (linha 2)
o Alarme soe (linha 3)
. No final da contagem do tempo o temporizador fica a 1 pelo que o alarme é desligado e a saída é activada.
. Quando a haste do cilindro chega ao final faz activar o fim-de-curso a e, como ele está negado (linha 1) faz desactivar o relé, o que por sua vez desactiva o Timer (linha 2) e, assim, por consequência desactiva a saída (linha 4)

Nesta imagem vemos o circuito programado.

Na imagem seguinte já premimos (e libertámos) o botão de pressão “Iniciar”, pelo que o relé está activo, o timer está a contar (está em 7 e vem de 100 = 10 segundos) e o alarme está activo.

Nesta imagem final o interruptor de fim-de-curso já foi activado pelo cilindro e, por isso, voltámos ao estado inicial.

Neste terceiro exemplo:
. Quando activo a entrada (botão de pressão) Inic o relé Inic_Enable é activado.
Uma vez que esse relé está por sua vez a servir de entrada (paralelo – OR – com o botão de pressão), tratando-se pois de uma realimentação, isso permite que, mesmo que liberte o botão de pressão o relé continua activado.
. A activação do relé faz com que o Temporizador (Timer_1) inicie a contagem do tempo para o qual foi programado, ao fim do qual a saída Y1 é activada, e dando ainda início à contagem do tempo pelo Temporizador Timer_2.
. Quando este termina a contagem do seu tempo fica a 1, o que faz o Timer_1 passar a 0 e assim desligar a saída. Só que também desliga o Timer_2 o que, por sua vez faz novamente iniciar o Timer_1 (condições iniciais), repetindo-se todo o processo até que se prima o botão de entrada Parar, que desliga o relé e assim desactiva tudo (Timer_1, Timer_2 e Saída Y1).

Por exemplo, se a saída for uma electroválvula, esta pode ser ligada durante o tempo marcado no Timer_2 (ex: 5 segundos), isto é, enquanto o Timer_2 está a fazer a sua temporização que corresponderá ao tempo de expansão da haste do cilindro; e desligada durante o tempo marcado no Timer_1 (ex: 2 segundos), que corresponderá ao retorno da haste.
Trata-se pois de um cilindro de dupla acção: expansão (5s) e contracção (2s) – os tempos são meros exemplos.

De notar ainda que este programa permite a inserção de comentários nas redes/circuito criados, bastando para tal colocar o cursor sobre a rede que queremos comentar e actuar no menu:
Circuit >> Insert Comment
Depois é só escrever o comentário e fazer Enter.

Nesta figura mostra-se (janela da simulação) que o Timer_2 está a contar (vai em 40) pelo que a saída está activada – cilindro a expandir.

[/hide]

Posts Relacionados:

0 comentários

Ainda não há comentários...

Mande uns "bitaites" preenchendo o formulário abaixo.

Deixe-nos um comentário