Imagens de cabeçalho aleatórias... Recarregue a sua página para ver mais!

11 Conselhos para gerir a sala de aula e evitar a indisciplina

A investigação conclui que uma má gestão da sala de aula potencia a indisciplina.

1.Providencie um adequado arranjo físico da sala: coloque os materiais ao alcance dos alunos e disponha as mesas de forma que todos os alunos sejam vistos pelo professor.

indisciplina

2.Defina as regras de conduta e explique-as aos alunos no início do ano lectivo. Certifique-se de que todos as compreenderam.

3.Uma vez definidas e explicadas as regras, coloque-as em local bem visível da sala e seja consistente na sua aplicação.

4.Depois de definidas as regras, enuncie comportamentos adequados e comportamentos indesejáveis e mostre por que razão os últimos são inaceitáveis.

5. Aja sempre de forma justa e sem mostrar preferências.

6.Nunca levante a voz nem se exalte. Se se exaltar, os alunos interpretam isso como falta de autoridade e como um convite para que eles também falem alto.

7.Forneça “feedback” frequente e consistente sobre como cumprir as regras.

8.A investigação mostra que ocorrem 30 transições por dia nas salas das escolas básicas e que as transições mal preparadas e mal feitas potenciam a indisciplina. Prepare com cuidado as transições. Por exemplo, dizendo: “são quase horas de intervalo; por favor, acabem a tarefa e arumem os materiais!”

9.Seja firme e consistente quanto à limpeza e arrumação da sala. Uma sala desarrumada e suja potencia a indisciplina. Envolva os alunos na arrumação e limpeza da sala de aula.

10.Use os reforços positivos com moderação e apenas quando tal se justifique.

11.Nunca discuta com um aluno à frente da turma. Quando tiver de o fazer, faça-o sempre em privado, num tom de voz baixo e mostrando serenidade e calma.

Para saber mais, veja este powerpoint. Para aprofundar esta temática, sugiro a leitura do livro de João A. Lopes, Problemas de comportamento, problemas de aprendizagem, problemas de ensinagem (Quarteto Editora).

Julho 26, 2008   Não há comentários

Como lidar com jovens hiperactivos

1. Porque tenho um cá em casa;

2. Porque sou professor e deparo-me, cada vez mais, com alunos com as características apontadas no artigo;

3; Porque penso que o seu número está a crescer, face ao tipo de vida que todos levamos.

Achei interessante postar aqui este artigo obtido em http://professoresramiromarques.blogspot.com/2008/04/sugestes-sore-como-lidar-com-alunos.html

SUGESTÕES AOS PAIS E PROFESSORES DE CRIANÇAS E JOVENS HIPERACTIVOS

  • Prestar atenção ao aluno, escutando-o e falando com calma. Explicar-lhe o seu problema, tranquilizando-o, preferindo como o vão ajudar.
  • Conhecer os seus interesses e motivações como elementos potenciadores da sua aprendizagem.
  • Actuar sempre como modelos positivos. O que os pais e professores fazem influencia mais as crianças, do que aquilo que dizem. É importante mostrarem-se tranquilos e relaxados, pois o seu comportamento vai ser imitado.
  • Ajudar a aumentar a sua confiança e auto-estima. Destacar os aspectos positivos das suas evoluções por limitadas que sejam.
  • Fazer demonstrações de carinho. As crianças hiperactivas necessitam de contacto físico e afecto.

  • Comunicar ao aluno qualquer possível alteração da rotina da vida diária.
  • Integrar o aluno em tarefas adequadas ás suas capacidades.
  • Comentar tranquilamente ao aluno os seus erros, fazendo compreender que é necessário pensar sempre antes de actuar. Os erros devem corrigir-se, evitando situações conflituosas.
  • Evitar utilizar o castigo físico como correcção; aplicá-lo só em situações necessárias e realmente excepcionais.
  • Não actuar com o aluno permissivamente, a liberdade total pressupõe uma maturidade que geralmente as crianças hiperactivas não têm. Sentem-se mais tranquilos quando são estabelecidas regras.

  • Se o rendimento escolar for afectado de forma negativa, é fundamental que os pais mantenham frequentes encontros com os professores para determinar em conjunto os procedimentos e ajuda.
  • O aluno deve sentar-se à frente na sala de aula, reduzindo estímulos que levem à distracção. Deve ser inserido numa turma reduzida.
  • Tarefas mais difíceis na parte da manhã.
  • Adaptar tarefas ás suas capacidades e competências.
  • Apresentar tarefas novas, atractivas, evitando tarefas repetitivas.
  • Dividir as tarefas longas em pequenas partes, uma tarefa de cada vez.
  • As instruções verbais devem ser curtas, claras, repetindo sempre que necessário.
  • As reprimendas não devem ser publicamente humilhantes. Devem ser individuais, especificas, em voz calma mas firme, evitando o tom irónico.
  • Reforçar comportamentos e desempenhos adequados em púbico e privado.
  • Recompensar os progressos mesmo que o desempenho seja inferior ao que devia.
  • Limitar os trabalhos de casa porque estes não servem de castigo. Dar mais importância ao conteúdo do que à apresentação.
  • Permitir trabalhos com limites de tempo adequados. (Por exemplo os testes, se possível, fazer por partes: a primeira parte numa aula, e a segunda parte na aula a seguir).
  • Tentar manter o aluno ocupado com actividades que o motivem.
  • Responsabilizá-lo com pequenas tarefas para que se sinta útil, e recompensá-lo com reforço positivo, elogiando e valorizando o seu trabalho.
  • Sempre que possível, o aluno deve ter um apoio o mais individualizado possível, nas áreas onde apresenta mais dificuldades.

Julho 26, 2008   Não há comentários