Arquivo de etiquetas: Deus Pã

Deus Pã – Bandas Novas – Artigo de Opinião

POP ROCK

28 Maio 1997

BANDAS NOVAS
O POP/ROCK anda à procura de novos artistas e bandas portuguesas. Não temos preconceitos de línguas, cores ou paladares musicais. Só precisamos que nos enviem gravações e um contacto telefónico. Fotos e biografias não são obrigatórias, mas muito convenientes.

FUNKY PÃ


dp

“O deus Pã não morreu/Cada campo que mostra/Aos sorrisos de Apolo/Os peitos nus ceres/Cedo ou tarde vereis/Por lá aparecer/O deus Pã, o imortal”. É com esta citação das “Odes” de Ricardo Reis que os Deus Pã elaboraram o seu cartão de visita. Mas que relação há entre esta banda portuguesa e o deus grego dos rebanhos, meio homem, meio cabra? António Santos “Zito”, vocalista do grupo, explica: “Inicialmente a banda chamava-se Deus Pã Não Morreu, que é uma frase de uma ode do Ricardo Reis. O Deus Pã era o tal músico que tinha uma audiência muito estrita e que defendia a Natureza. Embora não tenha a ver com a música que fazemos, foi um nome que ficou”.
Antes de ascender à condição de deus, o grupo dava pelo nome, mais prosaico, de Ex-Citações. Ganharam um concurso de música moderna em Guimarães e outro no Porto. “A partir daí alguns elementos tiveram que dispersar, por motivos pessoais”. José Meireles, mentor desta primeira formação, começou a procurar novos elementos. Quando os encontrou, achou igualmente um novo nome para a banda, aquele que agora ostentam.
António Santos enquadra a música do grupo “no campo da fusão e do jazz-funk” e, nomeadamente, “naquele pop de rádio”. A este facto não é estranho o facto de alguns dos seus elementos terem formação na Escola de Jazz.
Em termos de gravações, os Deus Pã têm gravadas várias maquetas, a última das quais, com a ajuda de mais três músicos convidados, um teclista, um saxofonista e uma voz feminina, “está a passar na Radical FM e na Rádio Nova Era”. Esta gravação contém os temas “Vida nociva”, “Sonhos”, “Mulata” e “Uma janela”ouvidos”, todos gravados em estúdio no ano passado. Têm presentemente em vista a gravação de outros dois. “Para juntar mais material para enviar para as editoras”.

Nome Deus Pã
Origem Porto, 1990
Formação António Santos “Zito” – voz; José Meireles – guitarra; Fernando Rodrigues – guitarra; Carlos Copek – baixo; Rui Eduardo – bateria
Ponto alto A vitória num concurso de música moderna organizado pelo Instituto Superior de Engenharia do Porto e a gravação do compacto de compilação “Até que o Rock nos Separe”, da Solitária Produções, com os temas “Fogo” e “Não podemos aceitar”.

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0