Arto Lindsay – Mundo Civilizado

13.06.1997
Arto Lindsay
Mundo Civilizado (7)
Rykodisc, distri. MVM

artolindasy_mundocivilizado

LINK

Olha que coisa mais linda… Arto Lindsay que o diga, cada vez mais embrenhado que está na música brasileira em geral e na bossa-nova em particular. “mundo Civilizado” é a continuação de um trabalho iniciado o ano passado com “o Corpo Sutil”. Sempre bem acompanhado, registem-se as participações, no novo álbum, de Roy Nathanson, dos Jazz Passengers, Don Byron, Melvin Gibbs (Rollins Band), Bernie Worrell, Peter Scherer e, claro, o indispensável Vinícius Cantuária, a sua guitarra e as suas composições.
Mas a principal inovação resulta da contribuição do convidado DJ Spooky, cujo trabalho de colagem e montagem de “texturas” (ambientes, manipulação de pratos de gira-discos), num papel equivalente ao desempenhado por Brian Eno, em “O Corpo Sutil”. Mais cheio de carnes que o seu antecessor e lançando piscadelas de olho ao “trip-hop”. “Mundo Civilizado” vale sobretudo pela criatividade dos arranjos, em composições da autoria de Lindsay, partilhadas com Vinicius Cantuária, Marisa Monte (“Mundo civilizado”), Caetano Veloso (“Titled”) e Amadeo Pace (“Imbassai”) ou nas versões de “Simply Beautiful”, da Al Green, e “Erotic City”, de Prince. Mantêm-se as vocalizações frágeis que evocam as imagens poéticas da bossa-nova e um surrealismo transversal. De um bom gosto intocável, faltará a este fascínio de Arto Lindsay pelo Brasil o golpe de asa que faça transbordar o Rio. Em paralelo com “Mundo Civilizado” vai ser editada pela Gramavision a versõa de remisturas deste disco, “Hyper Civilizado”, por DJ Spooky e DJ Olive, entre outros. Talvez aí, a aventura…

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.