Thomas Brinkmann – “Rosa”

Y 24|Novembro|2000
escolhas|discos

THOMAS BRINKMANN
Rosa
Max Ernst, distri. Ananana
8|10



Dentro do espírito “back to basics” não há quem bata Thomas Brinkmann, com assinatura própria, ou como Soul Center. “Rosa” reúne uma coleção de EP já editados em vinilo, cada um com um nome de mulher. A embalagem não poderia ser mais minimalista, com a informação e o grafismo circunscritos a quase nada. Ao contrário do pendor funky dos Soul Center, “Rosa” resvala para a abstração analítica, servindo-se das programações para criar um segmento sónico de 74 minutos do qual, uma vez apanhados pelo ritmo, só conseguimos sair no fim. “Grooves” matemáticos ao serviço de uma tecno minimal cuja eficácia se comprova na absoluta irredutibilidade rítmica segundo a mesma estética de Vladislav Delay ou Rechenzentrum. Depois de nos enredar no centro da alma, Brinkmann aprisiona-nos nas certezas da máquina.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.