Vários – “Nuit Celtique II”

27.02.2004

Vários
Nuit Celtique II
DVD
Ed. e distri. Sony Music
8/10

LINK

15 de Março de 2003. Um estádio de futebol (o Stade de France, em Paris) encheu-se para ouvir música céltica, na segunda “Nuit Celtique” com selo organizativo do festival intercéltico de Lorient, Bretanha, um dos mais prestugiados do circuito folk europeu. 500 artistas provenientes do polígono celta (bretanha, Irlanda, Gales, Galiza e Astúrias) proporcionaram uma noite única. Quando John Kenny entra sozinho erguendo ao alto uma longa trompa com cabeça de lobo, o silêncio religioso que se instala não faz prever a euforia que explodirá a seguir. “Bagads”, bandas militares escocesas, coros, um grupo de pandereteiras, outro de metais, uma orquestra sinfónica, dança irlandesa, “ceilidh” e bretã – a cerimónia adquire todos os tons da celtitude. Os convidados mergulham no ambiente, presos como a multidão ao sortilégio. Carlos Nunez está em transe, toca alguns dos temas que puderam ser escutados há poucos dias em Portugal. Os olhos brilham e, no meio do habitual desempenho virtuosístico na gaita-de-foles, solta urros de incitamento e não pára de declarar que a Bretanha é um paraíso (o que é verdade). O coro vocal de anciãos Flint Male Voice Choir antecede mais folk rock, pela banda do jovem cantor bretão Deniz Prigent. As dançarinas dos Roscara Dancers da Irlanda são fadas a voar. As maiores estrelas actuam no fim mas soçobram na grandiosidade do momento. Sinead O’Connor, sem voz nem presença, parece uma menina perdida com a sua folk de trazer por casa. Por fim, como corolário lógico, chega o bardo bretão, Alan Stivell. Canta e toca harpa, hesitante, enquanto à sua volta, num imenso crescendo, se vão juntando orquestra e dançarinos. Só a voz e as notas mortiças de harpa estão desfasadas, presas ainda a este mundo. Alan Stivell perdeu-se no caminho mas o caminho continua. Lá e cá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.