Imagens de cabeçalho aleatórias... Recarregue a sua página para ver mais!

Domótica – Curso de ETS3 – Parte 4

Curso Profissional de Electrónica, Automação e Comando
Disciplina de Automação e Comando
Módulo de Domótica

Programação e Colocação em Serviço de Instalações com Sistemas de Bus KNX/EIB/TP1

Curso de Software ETS3, para sistemas KNX/EIB

PARTE 4

B – Desenho de um Projecto com o ETS-3 Profesional (3)

– Inserção de Grupos Principais e Secundários (Maingroups e MiddleGroups)

Quando seleccionamos o ícone Grupos principais (Maingroups) na Vista de Endereços de Grupo (Group Adresses View), oferecem-se-nos três possibilidades para inserir um ou mais endereços de grupo principais: através do botão da barra de ferramentas ; por meio da função Add MainGroups… do menu Edit, e por meio do menu sensível ao contexto, clicando com o botão direito do rato.

Os endereços de Grupos Secundários (MiddleGroups) podem-se introduzir quando na janela de endereços de grupo se selecciona um endereço de grupo principal. Isso faz-se da mesma forma que descrevemos acima para os grupos principais.

– Envio da Programação com ETS-3 Profesional

Uma vez terminado o projecto, deve enviar-se a programação a cada um dos dispositivos/elementos/aparelhos da instalação, pelo que teremos de ligar o PC à instalação, através da interface RS-232.
O menu de programação (Comissioning) contém três elementos:

. Programar… (Download…)
. Desprogramar… (Unload…)
. Reinicializar o Dispositivo (Reset Device)

No caso de o ETS-3 não se encontrar ligado ao sistema KNX/EIB, a chamada a uma destas três funções mudará automaticamente o programa para o estado de ligado/online com o sistema.

Para programar um aparelho, devemos actuar da seguinte forma:

1º O endereço físico
2º O programa de aplicação

Sem prejuízo de ambos os passos se poderem fazer de uma só vez.

A programação pode-se levar a cabo por meio de:

. Menu Programar >> Programar… (Comissioning >> Download…)
. Clicando no ícone da barra de ferramentas.
. Menu sensível ao contexto (botão direito do rato).

Em qualquer caso é determinante o que temos seleccionado na janela activa quando abrimos a janela de programação, já que todos os aparelhos que pertencem ao elemento marcado serão dispostos para programação.

Figura 17 – Programação de aparelhos

Ao programar o endereço físico devemos escolher entre dois procedimentos, que aparecem ao desdobrar as opções possíveis, através do botão .

Aparelho em Modo de Programação… : Significa que desejamos associar o endereço físico ao aparelho cujo botão de programação se encontra pressionado, e o seu led de programação, aceso.

Reescrever o Endereço Físico Existente…: Por meio desta opção é possível reescrever um endereço físico presente no projecto, sem necessidade de pressionar o botão de programação da BCU que o contenha.

A Programação parcial refere-se somente ao programa de aplicação, e para poder utilizar essa opção é preciso que o aparelho tenha programado endereço físico. Desse modo, é possível reprogramar alterações que afectam exclusivamente os parâmetros ou endereços de grupo.

– Diagnósticos

O menu Diagnostics contém ferramentas úteis durante a planificação e a configuração de uma instalação KNX/EIB.

Figura 18 – Menu Diagnóstico

Ao executar a função Verificar Projecto (Check Project), verificar-se-á o projecto actual.

Informação do aparelho… (Device Info…): permite-nos obter a informação sobre um dispositivo de uma instalação existente. Essa função só pode ser utilizada quando existe ligação com uma instalação KNX/EIB.

Endereços Físicos (Individual Adresses…): permite realizar as seguintes operações:

. Enumerar o aparelho ou aparelhos que se encontrem em modo de Programação.
. Comprovar se um endereço físico existe nesse projecto e localizar o aparelho correspondente, se existir.
. Enumerar todos os endereços físicos de uma linha

Monitor de Grupos (Group Monitor): inicia um programa de seguimento e análise do tráfegos de mensagens através do bus. Ainda que a interface com o sistema KNX/EIB seja repartido por este programa, o resto do ETS pode continuar a aceder ao bus sem problemas.

Monitor do Bus (Bus Monitor): inicia um programa completo de seguimento e análise do tráfego de mensagens que circulam no bus.

Esse software de diagnóstico procura qualquer mensagem – de qualquer tipo – que circule pelo bus. A diferença em relação ao monitor de grupos, é que o programa requer o acesso exclusivo à interface KNX/EIB (BCU local). Portanto, as outras partes do ETS não podem aceder ao bus em paralelo com o monitor de bus se essa ferramenta estiver activa.

Posts Relacionados:

0 comentários

Ainda não há comentários...

Mande uns "bitaites" preenchendo o formulário abaixo.

Deixe-nos um comentário