Imagens de cabeçalho aleatórias... Recarregue a sua página para ver mais!

Dicas e Truques com o Multímetro (2): Teste de Lâmpada Fluorescente

Teste de Lâmpadas Fluorescentes

Embora não seja o único teste que se pode fazer com as lâmpadas fluorescentes, que podem apresentar outros problemas, ou até não funcionar devido aos seus componentes (arrancador e balastro), é um dos testes a fazer e que pode evitar o atirar para o lixo de uma lâmpada ainda boa.

Atenção:

– Este teste revela se os filamentos de arranque têm continuidade.
– Este teste não revela se a lâmpada está fraca ou sem gás (vidro partido ou rachado).

O teste vai revelar-nos se os dois filamentos de aquecimento e arranque da lâmpada (ver figura) estão bons, condição essencial para que a lâmpada funcione bem.
O teste pode ser aplicado a qualquer lâmpada fluorescente de 2 a 100W.

Procedimento

1. Coloque o multímetro, a funcionar como ohmímetro, na escala mais baixa de resistência: OHMS x1 ou OHMS x10, no caso dos analógicos, e escala de 200 ou 2000 ohms, no caso dos digitais;

2. Retire a lâmpada do seu suporte;

3. Faça a medida de continuidade para cada um dos pares de pinos (um par de cada lado da lâmpada), como se mostra na figura seguinte:

multimetro_2

Interpretação dos Resultados

– Se a resistência medida for muito baixa, da ordem de alguns ohms, o filamento de aquecimento e arranque apresenta continuidade, encontrando-se em boas condições;
– Se a resistência é “infinita” (“1” nos digitais) o filamento está interrompido, não apresentando continuidade, o que significa que está queimado, pelo que deve substituir a lâmpada.

Notas:

1. A medida da resistência entre um pino de um lado e outro do outro lado da lâmpada nada revela, pois a tensão fornecida pelo ohmímetro (poucos volts) não é suficiente para ionizar o gás que se encontra entre eles, no interior da lâmpada. Não há pois qualquer condução e a resistência deve dar “infinito” quer a lâmpada esteja boa ou não. Quando a lâmpada está em funcionamento o gás do seu interior está ionizado e é ele que conduz a corrente através da lâmpada, mas para ele ionizar é necessário aplicar os 230V da rede… e não só!

2. Os filamentos de aquecimento e arranque da lâmpada funcionam apenas por breves instantes, durante o arranque da lâmpada. Quando ligamos a alimentação (através do interruptor do circuito), o arrancador entra em acção fazendo passar uma corrente pelos filamentos que aquecem o gás no interior da lâmpada, ajudando ao início da sua ionização. Assim que isso acontece é o gás que passa a conduzir e o filamento é “desligado” automaticamente pelo arrancador.
Assim, se o filamento estiver partido/queimado/avariado ele não vai aquecer e a lâmpada nunca arranca/acende.

3. Uma lâmpada fluorescente fraca ou “velha” apresenta uma região mais escura próxima do filamento (extremidades) e pisca bastantes vezes antes de acender ou nem sequer acende. Está na hora de a trocar por outra.

Tags: , ,

Votar:
0 votes, average: 0,00 out of 50 votes, average: 0,00 out of 50 votes, average: 0,00 out of 50 votes, average: 0,00 out of 50 votes, average: 0,00 out of 5 (0 votos, average: 0,00 em 5)
Tem de se Registar para votar neste post.
Loading...
Imprimir: Imprima este post Imprima este post
Leituras: 24.868 leituras

3 comentários

1 ernane suassuna barreto { 06.16.11 at 13:55 }

achei mais facil textar a lampada com o multimetro
mais facil de conduzir para onde for.

2 dino { 09.25.12 at 12:26 }

muito boa e prática sua informação, obrigado.

3 cesar { 08.06.13 at 7:07 }

muito bom

Deixe-nos um comentário