Imagens de cabeçalho aleatórias... Recarregue a sua página para ver mais!

Curso de Domótica – Parte 7 : EIB – subparte 1/3

Curso Profissional de Electrónica, Automação e Comando
Disciplina: Automação e Comando
Módulo: Domótica

Sistema EIB
(European Installation Bus)

Introdução

É o sistema mais utilizado em domótica, na Europa. Nos Estados Unidos, o sistema mais comum é o X-10.
Trata-se de um sistema operativo distribuído, para controlo de redes de componentes domóticos criados por vários fabricantes, optimizado para o controlo de casas e edifícios e apareceu devido ao aumento constante das necessidades de automatização requeridas pelos novos edifícios, tais como funções de comando, vigilância, segurança e conforto.
Este aumento provocou um acréscimo de tempo de montagem dos equipamentos, de riscos de incêndio e de número da cabos a utilizar.
A tecnologia EIB responde ao aumento dessas necessidades de automatização, sem os acréscimos referidos, pois permite uma instalação mais simples, racional e flexível de cablagem e equipamentos, uma vez que é uma tecnologia aberta e distribuída/descentralizada.
Tem ainda a vantagem de não fazer aumentar os custos.

O facto de ser um sistema distribuído quer dizer que não há uma unidade central que comande todo o sistema, encontrando-se antes o controlo deste distribuído por todos os dispositivos. Isso é uma vantagem pois qualquer que seja o dispositivo que fique fora de serviço, por exemplo por avaria, todos os outros continuarão operacionais, o que não aconteceria se o comando fosse centralizado e o dispositivo central avariasse. É aliás o que se passa com a nossa rede eléctrica caseira: se uma lâmpada ou um electrodoméstico/tomada avariam, todos os outros continuarão a funcionar.

O facto de ser aberto traz como vantagem que o sistema se pode sempre expandir e utilizar uma variedade maior de opções e marcas pois, como se trata de um sistema aberto, todos os fabricantes podem criar dispositivos que respeitem as normas do sistema EIB. Isto ao contrário dos sistemas proprietários, em que a utilização de dispositivos compatíveis com o sistema fica reduzido a uma única marca, que detém o exclusivo de utilização da norma.
Um pouco à semelhança do Windows – sistema proprietário e do Linux – sistema aberto.

Trata-se pois de um sistema muito flexível.


Topologia

A topologia, ou seja a forma de ligação dos vários dispositivos ao sistema, é ponto a ponto:
Cada dispositivo comunica directamente com os restantes, pelo que é mais rápido.

Pode conter até 11520 dispositivos repartidos por 15 áreas, sendo que cada área terá 12 linhas e cada linha, no máximo, 64 dispositivos.

Meios de Transmissão

O sistema EIB pode ter como suporte físico, isto é, palpável, os seguintes meios de transmissão:
• EIB.TP – par entrelaçado (9600 bit/s);
• EIB.PL – rede eléctrica (1200/2400 bit/s);
• EIB.RF – radiofrequência;
• EIB.net2 – (10 Mbit/s em Ethernet);
• EIB.IR – infravermelhos;
• EIB.MMS – permite adicionar serviços multimédia dedicados.

Funções do EIB

Destacam-se algumas funções básicas tendo em conta que estas não são exclusivas do sistema.
Estas funções encontram-se incorporadas nos vários dispositivos.

Comutação
O sistema EIB liga ou desliga os receptores de modo automático (programado antecipadamente) ou manual (premindo botão de pressão que provoca de imediato a acção de ligar ou desligar, por exemplo).

Controlo e regulação
Partindo dos valores medidos (por sensores/transdutores) e dos parâmetros previamente programados, o sistema EIB controla automaticamente as funções domóticas.

Aviso
Através de displays de informação, o sistema EIB informa o utilizador dos parâmetros (temperatura, luminosidade, aparelhos ligados, etc.).

Vigilância
O sistema EIB regista os movimentos e os desvios dos valores físicos em causa, vento, chuva, fogo, etc., dando depois ordem para executar uma determinada acção (previamente programada) se um dos parâmetros ultrapassar um dado valor pré-estabelecido.

Alarme

O sistema EIB detecta alterações produzidas e liga sinais de alarme pertinentes.

Telefone
Através do telecontrolo o sistema EIB pode transmitir ou receber ordens de actuação, ou seja, através do nosso PC ou telemóvel, podemos dar ordens ao sistema para este executar determinadas acções: ligar o aquecimento quando saímos do trabalho, acender as luzes do pátio, ligar e/ou desligar a máquina de rega do jardim, etc.

Medição
O sistema EIB mede, processa e indica os valores físicos.

Elementos de Controlo

O EIB é um bus de dados descentralizado, que permite a comunicação directa entre todos os (dispositivos) participantes, dirigindo todas as funções através de uma única linha de bus, isto é, sem necessidade de recorrer a qualquer unidade central.
Também possibilita a alimentação dos mesmos participantes.
Servindo-se apenas de dois fios, o EIB permite ainda interligar todos os elementos da instalação.

Os (dispositivos) participantes do bus são todos os componentes Instabus EIB dotados de acoplador de bus (componente inteligente de cada participante), equipados com um microprocessador que possui uma EEPROM parametrizável/configurável.

(continua…)

Posts Relacionados:

0 comentários

Ainda não há comentários...

Mande uns "bitaites" preenchendo o formulário abaixo.

Deixe-nos um comentário